Arquivo mensal: fevereiro 2013

Vida de Programador cita vantagens da regulamentação do Informata

Hoje foi um dia interessante, quando Potiara compartihou com o grupo CONFEI do Facebook o link de um artigo do site Vida de Programador.

O autor do artigo disse que recebeu pedido para divulgar um abaixo-assinado a favor da regulamentação da profissão e um pedido para divulgar um abaixo-assinado contra a regulamentação.

O autor citou  as vantagens de apoiar a regulamentação do Informata, talvez desconhecidas pelos rebeldes sem causa e a turma do contra que não se deu conta das possibilidades:

  • Numa profissão regulamentada, é possível estabelecer um piso salarial. Por exemplo, um engenheiro civil, mesmo que seja um ruinzinho, recebe pelo menos R$5.620,00 (se peguei o valor certo).
  • Hoje, um profissional de TI paga uma contribuição sindical que não se sabe para onde vai nem como é usada. Se houver um órgão definido, saberemos para onde vai esse dinheiro (apesar de continuarmos não sabendo como é usado).
  • Com a regulamentação, um Conselho pode intervir para evitar abusos e absurdos cometidos por maus profissionais que queimam a profissão. Mas esse não é o principal motivo.
  • o principal motivo para uma regulamentação é estabelecer uma descrição de cargos. Muitas tirinhas já passaram por aqui com histórias de programadores que precisam dar suporte, cuidar da infra-estrutura, administrar bancos de dados e fazer o café. Uma descrição de cargos deve especificar o que cada função é responsável, para que você possa fazer o seu trabalho direito. Ter que realizar outras funções deveria ser caracterizado como acúmulo de funções e remunerado de acordo.

O autor lembrou das dicussões que há sobre profissionais formados e não formados, se a regulamentação vai tirar bons profissionais do mercado só porque não são formados.

O autor refletiu que não há razão para cobrar formação superior de um programador (ou algumas outras funções), pois não existe um curso superior de “Programação de Computadores”?

Aqui gostaríamos de abrir um parêntesis sobre este pensamento: elaboramos uma emenda substitutiva, com o intuito de ajudar às pessoas não formadas a continuar exercendo sua atividade, então caso a emenda substitutiva seja aceita pelo Senado Federal, após a regulamentação o programador (ou qualquer profissional outro cargo dentro da Informática) poderá exercer sua profissão, desde que tenha pelo menos experiência comprovada no seu cargo. Afinal seria injusto com os demais permitir que qualquer um trabalhe em desenvolvimento de software sem ter nenhuma base de conhecimento adquirido sobre esta atividade (algoritmos estruturados, lógica de programação, teoria de conjuntos, métodos de ordenação, manipulação de vetores multidimensionais, árvore de decisão, etc).

Certamente não existe um curso universitário chamado Programação de Computadores, porque este curso normalmente é parte de uma formação maior. Em geral, programação é uma matéria em cursos de graduação. Num curso de Sistemas de Informação por exemplo é comum encontrarmos matérias de programação de computadores onde a universidade apresenta linguagens como Turbo Pascal, Java, C++, C#, Visual Basic, Delphi, etc.

O mesmo acontece com cursos técnicos como Processamento de Dados, estes cursos com nível de segundo grau técnico possui uma grade contendo várias matérias, entre as quais encontramos algumas ligadas à programação.

Permitir que, uma pessoa trabalhe com programação, sem ter nenhuma base nem os fundamentos sobre desenvolvimento de software pode comprometer a qualidade de qualquer sistema. É claro que há exceções e pessoas que se destacam no mercado por serem autodidatas, e aprenderem sozinhos estes conceitos ensinados nas instituições, mas precisamos valorizar o investimento de tempo e dinheiro de todos os profissionais que se dedicam à Informática como atividade-fim. Permitir que qualquer um adentre a profissão sem ter formação gera descontentamento e desconforto para vários profissionais habilitados.

Não somos contra pessoas sem formação exercerem a Informática como área-fim mas pedimos que tenham ou experiência comprovada (por mérito e estudo próprio) ou ainda formação técnica ou universitária dentro da área de Informática.

Lembramos que existem cursos avulsos, de extensão ou de treinamento com o objetivo de preparar o profissional para uma ferramenta de desenvolvimento específica. A ferramenta em si não é o que carateriza um Informata, mas sim a soma de todos os seus conhecimentos. Entendemos que a ferramenta é apenas uma extensão, um utilitário para o exercício da sua profissão. Entendemos que o profissional não pode ser medido apenas pela ferramenta utilitária que conhece (seja qualquer software, linguagem de programação ou hardware). O seu valor também deve ser medido por toda a base de conhecimento e experiência profissional dentro da sua atividade, que lhe ajuda na tomada de decisões importantes sobre soluções e sistemas, decisões estas que jamais podem ser tomadas por amadores.

Se não regulamentarmos a profissão do Informata, alguém o fará, e vamos acabar sendo absorvidos por algum outro Conselho (de engenharia, ou de administração) e aí meus amigos, não vamos ter representatividade, ninguém vai brigar pelos nossos interesses.

Posso estar errado mas foi isso que aconteceu com os arquitetos. O conselho de engenharia tinha a parte de arquitetura dentro de si, e os arquitetos não tinham valorização e representatividade. Agora finalmente eles tem seu próprio Conselho de Arquitetura, e venceram esta batalha. Agora eles já podem lugar por melhorias no seu setor. Enquanto isso ficamos aqui, discutindo uns com os outros o que é melhor.

Ser contra a regulamentação não vai evitar que ela aconteça.

Portanto, é melhor que estejamos unidos e que apoiemos, divulguemos os links, que falemos com os senadores.

É melhor que a regulamentação seja fruto do nosso trabalho e nossa união, que a profissão seja acompanhada por um Conselho de Informática formado por profissionais da Informática.

Se você é contra, reflita nisso: Você quer que as profissões de Informática sejam absorvidas por uma outra área que não é  Informática?

regulamente-primeiro

Anúncios

O link da proposta de audiência pública voltou no site Senado

Finalmente para alegria geral da nação Informata, depois de divulgarmos em várias redes sociais e alertarmos o site do Senado, finalmente a área de Informática do Senado devolveu o link para a votação da audiência pública ao seu devido lugar. O debate é importante para todos nós. Graças a esta falta de cuidado, perdemos uma semana de votação (período em que o link ficou indisponível aproximadamente).

POR FAVOR VOTEM EM AMBOS LINKS:

1) Apoio à Proposta de audiência/debate nas comissões sobre o Informata:

http://www12.senado.gov.br/ecidadania/visualizacaopropostaaudiencia?id=7201

2) Apoio ao projeto de lei sobre a regulamentação da profissão do Informata:

http://www12.senado.gov.br/ecidadania/visualizacaoideia?id=6281

CASO OS LINKS SEJAM REMOVIDOS PELO SENADO, OBSERVEM O PRAZO DE VALIDADE PRIMEIRO DE CADA LINK, CASO SEJA REMOVIDO ANTES DO PRAZO NOS AVISEM VIA FACEBOOK.COM/GROUPS/CONFEI

Vote!

Contamos com a sua ajuda para divulgar não somente este link da audiência pública mas também o link para apoiar a ideia legislação que corre no site do senado como proposta de EMENDA SUBSTITUTIVA, muito mais flexível que o texto original do projeto de lei PLS 607 / 2007. Visite portanto os links acima!

E confirme o seu voto ao receber o e-mail de confirmação do Senado!

Lembramos que estamos entrando em contato com advogados para garantir a constitucionalidade do texto para evitar desaprovação, bloqueio ou recusa de qualquer espécie por parte do Senado.

Mesmo que haja problemas e não seja aprovado ou continue congelado o processo nas mãos do Senador Wellington Dias, que no dia de hoje ele ou seu gabinete passaram o dia fazendo propagandas do PT no Twitter, mas se esquecem de cuidar dos interesses dos brasileiros, ou seja, olhar para o BRASIL assim como tem feito o senador Paulo Paim. O País deve vir sempre antes que qualquer partido ou interesses partidários. Precisamos de uma política comprometida com a nação e não com marketing de qualquer base governista ou de oposição.


Do Senado não queremos desordem

Queremos do Senado Federal andamento dos projetos (e não engavetamento) mesmo que eles não sejam aprovados mas DEVEM fluir. Queremos do Senado Federal retorno (feedback) às perguntas ou seja, sermos capazes de interagir com os Senadores, coisas que o Fale com o Senado ou Alô Senado não tem ajudado em nada (como muitos de nós pudemos comprovar).

Queremos do Senado Federal comprometimento com a NAÇÃO, que estejam engajados por NÓS e não pelos seus partidos.

Queremos do Senado pró-atividade, e que os Senadores corram atrás das soluções, que nos procurem, que dialoguem conosco, para que montemos juntos uma agenda, que entremos em comum acordo sobre os itens da Emenda Substitutiva. Não há espaço para lobistas que dificultam a regulamentação de nossa área, já que muitas profissões tem sido regulamentadas nos últimos anos, exceto a nossa.

Queremos da nação DEMOCRACIA, ouvir as opiniões contrárias de forma construtiva, que estas vozes não se ocupem de boicotar ou atrapalhar o projeto, mas que contribuam com IDEIAS para tornar o projeto favorável e justo à grande maioria dos profissionais. Não basta ouvir pequenos grupos e empresas, é preciso colher as melhores ideias dos profissionais que atuam na área. Todos temos o mesmo objetivo afinal, que é valorizar nossa profissão.

Reinvidicamos que os Senadores escutem nosso pleito ou seja, nossas ideias para melhorar o projeto de lei atual sendo mais justo para todos visando o progresso do país. Ou que nos colaborem tramitando um novo projeto com base na emenda substitutiva como ponta-pé inicial.

Precisamos valorizar o Informata já.

E por último, amigos, precisamos mesmo de um segundo projeto de lei que ao menos imponha obrigatoriedade na resposta dos Senadores às perguntas remetidas pelos internautas num prazo RAZOÁVEL, mesmo que não tenham respostas positivas, mas é preciso dar um retorno para que a nação saiba o que está acontecendo.

Respostas como por exemplo:

  1. é possível retirar a matéria das mãos do Senador Wellington e passar para outro Senador que seja mais pró-ativo, exemplo: Paulo Paim?
  2. por que o projeto ficou engavetado por tantos meses na mão do Wellington Dias, o que foi que houve que ele não tramitou o processo como relator?
  3. por que o senador Wellington Dias não respondeu as mensagens de vários profissionais de informática sobre o projeto, enviadas via site do Senado, Site pessoal e Twitter? O que lhe está bloqueando?

Obrigado a todos pelo empenho, dedicação, por compartilharem com os amigos esta ideia, e por toda ajuda prestada, anônima ou pública.

Novo link para apoiar a regulamentação do Informata

E aqui vamos nós, com o novo link para que você possa apoiar o projeto de lei para regulamentação da profissão e compartilhar: http://www12.senado.gov.br/ecidadania/visualizacaoideia?id=6281

Vamos ver se a informática do Senado vai remover este link também sem dar explicações.

Nesse caso vamos enviar uma carta à presidência do Senado e ao diretor de TI do Senado Federal.

Não é possível num país democrático haver total descontrole dos registros criados pela população no site do Senado. E o pior é não darem satisfação aos criadores das ideias legislativas cerceando o nosso direito de expressão.

informatas-unidos

Compartilhe o novo link com seus amigos e vamos fortalecer esta ideia. Basta registrar seu voto e ao receber o e-mail de confirmação do senado, clique no link recebido para confirmar seu voto.

Essa semana muitos de nós pensamos se o Paulo Paim realmente é da base governista. Está sempre pró-ativo nas redes sociais, mais preocupado em mostrar trabalho do que os demais senadores. Até lamentamos que o projeto de lei não esteja em andamento com ele.

Enviamos uma pergunta ao Paulo via twitter sobre o que poderíamos fazer para retirar essa matéria das mãos do Senador Wellington Dias, já que com este não está fluindo já faz muitos meses. Achamos que por uma questão de boa vizinhança, Paulo não queira tecer comentários sobre o trabalho do Wellington.

Todos vemos que o nosso projeto de lei não avança com Wellington Dias, e o pior é que não se consegue resposta dele nem por e-mail, nem por twitter e nem pelo site deste senador. Não há como interagirmos com ele.

Já o Paulo Paim continua em várias frentes, atuando por exemplo como autor do PLS 115/2007, que regulamenta a profissão de comerciário. Como a classe dos comerciários está bem representada (o que não acontece com a informática já que estamos divididos em todo país, cada grupo com seus interesses pessoais), Paulo pôde receber a visita do presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio e Serviços da CUT, Alci Matos e também do coordenador da sede da confederaçao em Brasília, Francisco Luiz. O projeto já foi aprovado na Câmara (vamos aplaudir), e atualmente aguarda inclusão na ordem do dia para ser votado no plenário do Senado (vamos rezar para não cair nas mãos do Senador Wellington Dias como relator).

O mais curioso é que os dirigentes sindicais vão ser recebidos pelo presidente do Renan Calheiros: é, aquele acusado de crimes e que muita gente do Brasil votou na internet para afastá-lo do cargo.

Precisamos de um Paulo Paim para a nossa causa. Que seja mais haja em prol da classe Informata, e evite contato com grupos conservadores anti-progressistas contrários à regulamentação da nossa profissão no país.

Os informatas do Brasil estão descontentes com a Administração do site do Senado Federal

Hoje tivemos uma supresa desagradável. No LinkedIn um companheiro constatou que o link para que todos votássemos na audiência pública foi removido sem nenhuma justificativa: http://www12.senado.gov.br/ecidadania/visualizacaopeticao?id=7201.

Sugerimos que visitem o novo link por enquanto:

http://www12.senado.gov.br/ecidadania/visualizacaoideia?id=6281

 

Sobre o pedido de audiência pública (debate 7201), ele havia sido aprovado e publicado no site do Senado, dentro do período vigente não terminado, e estávamos registrando nossas votações, e hoje dia 14 de fevereiro foi removido.

Que podemos dizer sobre este infortúnio? Incompetência do profissional de Informática responsável pela administração do site do Senado Federal? Boicote do Governo?

Cagada do Senado

E agora que podemos fazer? Especular e elaborar teorias da conspiração? Não.

Temos é que alertar o Webmaster deste site, usando o site do Senado como canal de comunicação.

É preciso que ele restaure o link e seu conteúdo para que possamos dar continuidade à votação.

Caso não haja resposta num prazo de duas semanas, estaremos notificando os integrantes do senado sobre o ocorrido.

Via Twitter

Via twitter, enviem mensagens para @senadofederal, @vocenosenado, @AloSenado, @RadioSenado, também para a lista de senadores em https://twitter.com/Agencia_Senado/senadores

Via Site do Senado

Este evento vai contra a democracia e a cidadania.

Para solicitar a restauração do link, visite o site http://www.senado.gov.br/senado/alosenado/fale_senado.asp

Indique que é uma Solicitação, para Outros destinatários, Webmaster.

senado2

Estamos acompanhando para saber qual foi o problema e se foi normalizado para que o link se torne ativo novamente.

Estamos descontentes com a falta de cuidado na Administração do site do Senado Federal.

Divulgue a audiência pública para a regulamentação do profissional de Informática

informatas-unidos

Nossa proposta de realização de uma Audiência Pública JÁ ESTÁ PUBLICADA no Portal e-Cidadania do Senado Federal.

Proposta de Audiência Pública: Regulamentação da profissão do informata, englobando todas as especializações da área. A melhor forma de garantir o bom desempenho de sua proposta é divulgá-la entre seu amigos.

Como apoiar a audiência pública para regulamentação do Informata

Visite o link abaixo do Senado

Acione os links abaixo e compartilhe com todos os seus conhecidos, nas redes sociais ou por e-mail, o endereço da página para que eles possam apoiar a sua ideia e, então, ajudá-lo a encaminhar a proposta para avaliação dos membros de uma de nossas Comissões Parlamentares.

Visite https://www12.senado.gov.br/ecidadania/visualizacaopeticao?id=7201

Preencha seus dados

Ao chegar na página, preencha seu nome, e-mail, o código de segurança (conforme a imagem que aparecer) e clique no botão Eu Apoio!.

apoio-debate

Visite seu e-mail para confirmar seu votoVisite o link abaixo do Senado

Mas não acaba por aí. Você receberá um e-mail do Senado Federal para confirmar esse apoio. Este e-mail contém um link para confirmar o seu voto:

email-de-confirmacao-senado

Se tudo for preenchido corretamente você verá uma tela de sucesso:

apoio-debate-registrado

Achamos contudo que é muito curto o período para divulgar o debate e obter maior apoio visto dentro do prazo entre a publicação (01/02/2013) e a data limite (02/04/2013).

Contamos com a ajuda de todos para inscreverem-se neste site do senado e registrar o apoio.

Já veremos se o Senado Federal está trabalhando para fortalecer a cidadania.


Quer compartilhar?

Compartilhe no Twitter:

#CONFEI Por favor registrem apoio na página do senado para regulamentação do Informata Visite agora http://goo.gl/sGhiN

Compartilhe no Facebook:

Convidamos a todos profissionais de informática a apoiarem a audiência pública no Senado Federal sobre a regulamentação da profissão do Informata. Por favor ajude-nos, inscreva seu voto de apoio e compartilhe com profissionais de informática. https://www12.senado.gov.br/ecidadania/visualizacaopeticao?id=7201